Segunda, Outubro 23, 2017

As redes sociais e a construção do conhecimento

O estudo sobre redes sociais têm sido direcionado para diversos âmbitos, no entanto possui maior ênfase nos fluxos/canais de informação e conhecimento. O artigo “Redes Sociais, conhecimento e inovação localizada”, de Maria Inês Tomaél, doutora em Ciência da Informação pela Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (ECI/UFMG), trata desse estudo objetivando distinguir experiências sobre inovação e conhecimento.

                                                                                                                       


O estudo sobre redes sociais têm sido direcionado para diversos âmbitos, no entanto possui maior ênfase nos fluxos/canais de informação e conhecimento. O artigo “Redes Sociais, conhecimento e inovação localizada”, de Maria Inês Tomaél, doutora em Ciência da Informação pela Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (ECI/UFMG), trata desse estudo objetivando distinguir experiências sobre inovação e conhecimento.

A autora argumenta que a construção do conhecimento e sua aplicação tendem a alimentar um ciclo de produção e inovação de processos e ao serem aplicados em determinados espaços geográficos contribuem para a edificação de um sistema local inovador e absorvido pelo contexto sociocultural em que estiver inserido.

Para que esse sistema local inovador possa funcionar é necessário que a interação entre os agentes e seus atores seja constante e dessa forma as práticas e experiências podem se expandir ao serem compartilhadas, impulsionando outros sistemas a se tornarem mais aprimorados e completos. Maria Inês nos diz que “com base nessas assertivas, pode-se afirmar que a construção coletiva do conhecimento encontra o seu melhor ambiente nas redes sociais locais”.

Para tratar desse assunto é importante estabelecer a diferença entre as redes sociais e os sites de redes sociais na internet. Viver em sociedade é algo intrínseco ao homem, ele é um ser social desde que nasce. O globalizado mundo atual proporciona uma comunicação ampliada entre as pessoas, não importando a localização geográfica, possibilitando maior sociabilização entre indivíduos e grupos, aproximados por simpatias, afetos, curiosidade, necessidades, transações comerciais e interesses, em torno da comodidade e distanciamento seguro (e conveniente) que as novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) oferecem. As redes que se formam a partir desses grupos ou indivíduos constituem laços sociais: relacionamentos. Segundo Raquel Recuero, doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, “uma rede social é definida como um conjunto de dois elementos: atores (pessoas, instituições ou grupos; os nós das redes) e suas conexões (interações ou laços sociais)”. A interconectividade entre esses elementos é referida metaforicamente como “rede” (network) e esse conceito têm adquirido diversas significações e aplicações, como por exemplo, as redes sociais na internet.

Através da metodologia de Análise de Redes Sociais (ARS) a pesquisa relatada no artigo desenvolveu-se a partir de uma abordagem teórica sobre as redes sociais e sobre o conceito de inovação. A construção social de um ator acontece a partir das interações e contatos que ele mantém com outros atores e dessa mesma forma ocorre com grupos de interesses em comum que passam a atuar como um corpo uníssono. Segundo o texto inovação é mais importante atualmente do que invenção; significa introduzir aperfeiçoamento em um ambiente social ou produtivo, que promova novidades em serviços, produtos ou processos. Os tipos de inovação destacados foram: Inovação organizacional ou de gestão, Inovação de mercado e Inovação de negócio.

A inovação faz parte do processo de aprendizado e conhecimento, pois impulsiona um ciclo de aperfeiçoamento e aprimoramento que dá continuidade aos processos anteriores. As inovações requerem pesquisa, adequação, progresso e novas tecnologias e ferramentas, portanto, elas compõem a engrenagem da evolução de todos os setores, dos indivíduos e dos grupos.

O conhecimento compartilhado entre grupos está alicerçado no aperfeiçoamento das práticas sociais de uma organização. A difusão da informação e do conhecimento em redes sociais influencia processos e ações que permitem e sofrem interações constantemente em um processo contínuo. E esse processo promove a inovação localizada que inicia novamente impulsos de compartilhamento que realimentam o fluxo de informações.

{jcomments on}

AVA e-Professor

Assine nossa News

www.eprofessor.com.br

Clique aqui e selecione um banner com link para o eprofessor para colar em seu site ou blog.