Segunda, Outubro 23, 2017

O cenário da educação atual: uso das tecnologias digitais e educação a distância

Conforme os dados do CensoEAD.BR, que ouviu instituições responsáveis por mais de dois milhões de alunos a distância, atualmente no Brasil são ministrados cerca de 1.750 cursos EAD, sendo 37% cursos de especialização, 26,5% de graduação, cursos para formação de professores compõe 31,5%, seguidos pelos cursos de gestão e/ou administração com 19% e cursos sobre informática e tecnologia com 6,7%. Em 2008 a oferta de cursos nessa modalidade cresceu 90% em comparação ao ano anterior, somando quase 15% das matrículas realizadas, absorvendo 42% dos alunos fora do estado sede das instituições em que estão matriculados. Nesse seguimento o setor privado tem crescido o dobro do setor público, onde a evasão é maior. Ao contrário do que se poderia pensar, a distância maior ou menor do aluno não interfere nos índices de evasão.



Conforme os dados do CensoEAD.BR, que ouviu instituições responsáveis por mais de dois milhões de alunos a distância, atualmente no Brasil são ministrados cerca de 1.750 cursos EAD, sendo 37% cursos de especialização, 26,5% de graduação, cursos para formação de professores compõe 31,5%, seguidos pelos cursos de gestão e/ou administração com 19% e cursos sobre informática e tecnologia com 6,7%. Em 2008 a oferta de cursos nessa modalidade cresceu 90% em comparação ao ano anterior, somando quase 15% das matrículas realizadas, absorvendo 42% dos alunos fora do estado sede das instituições em que estão matriculados. Nesse seguimento o setor privado tem crescido o dobro do setor público, onde a evasão é maior. Ao contrário do que se poderia pensar, a distância maior ou menor do aluno não interfere nos índices de evasão.

No entanto o que sempre se questiona em relação ao ensino a distância é a qualidade dos serviços. De acordo com os dados do último Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes), aplicado pelo MEC/INEP, os alunos de turmas de EAD apresentam desempenho superior a 6,7 pontos em comparação aos estudantes que frequentam os cursos presenciais.

No artigo “Educação e ensino a distância” dissemos que a educação a distância e os serviços de gestão em aprendizagem sob a mediação da tecnologia estão aos poucos sendo consolidados em diversas iniciativas, algumas felizes outras equivocadas e que o processo de transição entre a educação formal e a distância vai se desenrolando aos poucos, de maneira não uniforme, levando em considerações diversos fatores como: as desigualdades sociais e econômicas, motivação, inclusão digital e principalmente a necessidade de uma revisão na metodologia educacional que é anterior às modalidades do ensino. A avalição do CensoEAD.BR também confirmou que ainda existe forte presença dos paradigmas presenciais nos cursos de EAD.

Cerca de 70% por alunos estudam em instituições que trabalham com turmas fechadas e/ou sem turmas; 82% ainda fazem provas escritas presenciais. Muitos cursos oferecem a modalidade semipresencial, em que 62% utilizam laboratórios de informática. O interessante é que 87,3% das instituições ainda utilizam o material impresso, 71,5% o e-learning e 51,7% utilizam o vídeo. Existe uma convivência pacífica entre novas tecnologias e mídias antigas, o que reforça o fato de que a transição de uma modalidade para outra está sendo realizada aos poucos, adaptando e conquistando muitas pessoas e em pouco tempo. A maioria das mídias nunca deixa de existir totalmente, podem coexistir, servir de complemento, atendendo às necessidades de cada pessoa ou grupo.

A questão nunca foi somente o tipo de mídia, mas “como” utilizá-la, baseada em qual metodologia e para que perfil de público. Um exemplo simples é a presença das bibliotecas. Nas instituições de EAD elas estão presentes em mais de 90%, já a biblioteca virtual está presente em menos de 50%. Apesar desses dados, a maioria das bibliotecas sempre foi subutilizada, e o erro, quando não detectado, pode se repetir em qualquer modalidade, virtual ou digital. Mas sobre as bibliotecas trataremos em outra ocasião.

Mídias virtuais

Com o surgimento da internet uma miríade de possibilidades começou a brotar de todos os cantos, e o processo de educação também foi afetado. Alunos, professores e bibliotecários tinham diante de si um imenso universo que podia ser alimentado e consultado, além de servir como um grande ambiente para aproximar pessoas e informações. Eis o cenário perfeito para comunicação online ao vivo, em tempo real, além de agregador de múltiplas mídias. Especialmente para processos de ensino-aprendizagem foram criadas e aperfeiçoadas plataformas de educação à distância, originalmente chamadas de Learning Management System (LMS). “Das 124 instituições credenciadas da amostra que usam sistemas de gerenciamento de cursos, ou LMS, 60% são privadas, e estas também são as que mais usam as versões comerciais do produto. Além disso, também são as instituições privadas as que tiveram mais demandas de customização e manutenção de seus LMS. As que estão mais satisfeitas são as que desenvolveram seus sistemas totalmente dentro da própria instituição. Setenta e dois por cento delas estão nos dois graus mais altos de satisfação. Entre as que utilizam LMS público, esse porcentual chega a 80,4%. As menos satisfeitas são as que utilizam LMS comercial, com menos da metade indicando os dois graus mais altos de satisfação. Uma em cada quatro instituições que ministram cursos livres utiliza LMS comercial. Os LMS gratuitos mais citados são Moodle, TelEduc e e-Proinfo. Os comerciais são Aula Net, WebEnsino e Blackboard”. (CensoEAD.BR) Vamos conhecer algumas dessas plataformas:

Moodle (tecnologia aberta, gratuito) - O Moodle é um Course Management System (CMS), também conhecido como Learning Management System (LMS) ou Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Ele é um aplicativo web gratuito que os educadores podem utilizar na criação de sites de aprendizado eficazes http://levitrakamagra.net/kamagra-oral-jelly/. O Moodle é um acrônimo para Modular Object Oriented Dynamic  - Ambiente de Aprendizagem, que é principalmente útil para programadores e teóricos da educação. Como tal, aplica-se tanto à forma como o Moodle foi desenvolvido, e à maneira como um estudante ou professor pode utilizar estudando ou ensinando em um curso online. Quem usa o Moodle é um Moodler. No mundo todo, em 216 países, existem 66.799 sites ativos que utilizam o Moodle. Alguns dos países que mais utilizam são Alemanha, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Canadá, Itália, Portugal, Rússia, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, França, Chile, China, México, Polônia, Holanda, Indonésia entre outros. No Brasil 4.889 usam essa ferramenta, veja mais detalhes nos gráficos abaixo:

TelEduc (gratuito) - O TelEduc é um ambiente para a criação, participação e administração de cursos na Web. Ele foi concebido tendo como alvo o processo de formação de professores para informática educativa, baseado na metodologia de formação contextualizada desenvolvida por pesquisadores do Nied (Núcleo de Informática Aplicada à Educação) da Unicamp. O TelEduc foi desenvolvido de forma participativa, ou seja, todas as suas ferramentas foram idealizadas, projetadas e depuradas segundo necessidades relatadas por seus usuários. Com isso, ele apresenta características que o diferenciam dos demais ambientes para educação a distância, disponíveis no mercado, como a facilidade de uso por pessoas não especialistas em computação, a flexibilidade quanto a como usá-lo, e um conjunto enxuto de funcionalidades.

Brainhoney (tecnologia aberta, gratuito) - é um software pedagógico colaborativo que possui recursos de gerenciamento de cursos, ferramentas para atividades e avaliações, inclusive funcionando como uma rede social para educação, onde professores podem criar e gerenciar conteúdos. O produto foi desenvolvido pela Agilix (parceira da Microsoft), uma empresa líder em mercado de educação a distância nos Estados Unidos em projetos de e-learning. O produto também é utilizado pela Dell em projetos de solução em tecnologia educacional para escolas.

E-ProInfo (gratuito) - O e-ProInfo é um Ambiente Colaborativo de Aprendizagem que utiliza a Tecnologia Internet e permite a concepção, administração e desenvolvimento de diversos tipos de ações, como cursos a distância, complemento a cursos presenciais, projetos de pesquisa, projetos colaborativos e diversas outras formas de apoio a distância e ao processo ensino-aprendizagem.

Blackboard (comercial) – Sistema de Gestão de Aprendizagem que trabalha com diversas plataformas que se complementam: aprendizagem, colaboração, conectividade, transações financeiras, análise de dados e desempenho, interatividade e mobilidade.

AulaNet (comercial) - O software AulaNet é a primeira plataforma de Educação a Distância produzida no Brasil, e atualmente está disponível em 5 idiomas. De fácil utilização a AulaNet trabalha com a integração de todos os formatos multimídia utilizados na web. Possui flexibilidade de adaptação gráfica e funcional e é compatível com o padrão SCORM, uma coleção de padrões e especificações para e-learning baseado na web.

Existem também as plataformas WebEnsino, LearnFlex entre outras.

Segundo o CensoEAD.BR, a criação de novos cursos a distância, conteúdo educacional e projetos de consultoria serão as atividades que mais se expandirão, principalmente no setor privado da Educação. No Estados Unidos e na Europa, grandes universidades já oferecem cursos pela internet e também disponibilizam todo o material das aulas em vídeos online. O ensino a distância permite que mais pessoas tenham acesso ao ensino superior. Não é possível mais imaginar um mundo onde professores não utilizem a web, seja para indicar conteúdos, materiais de apoio, arquivos compartilhados, aplicativos e softwares, vídeos, documentários, notícias, bases de dados e bibliotecas, documentos de acesso e download gratuitos, sites governamentais entre tantas possibilidades.

A internet pode enriquecer o estudo e a atualização dos professores, e como toda ferramenta precisa ser utilizada com planejamento e sabedoria. Lembramos sempre que o professor continua tão importante quanto sempre foi, assumindo agora o seu real papel de orientador ele divide o tempo, que envolve a aprendizagem, com experiências trocadas com seus alunos e construídas coletivamente em busca de soluções para os problemas estudos. A Educação pode ser a distância, todavia nunca alunos e professores estiveram tão próximos. : )

Algumas curiosidades:

O número de mulheres inscritas em cursos a distância supera 50% em relação aos homens;

Predominantemente os alunos de cursos a distância possuem entre 30 e 34 anos;

Em sua maioria, os alunos possuem idade mais avançada (mais de 30 anos) do que na educação presencial;

No Canadá, país pioneiro na popularização da EAD, 53 das 55 universidades públicas oferecem cursos presenciais e virtuais.

O MIT (Massachussetts Institute of Technology) e a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, já oferecem há algum tempo materiais e cursos online para pessoas do mundo inteiro.

{jcomments on}





AVA e-Professor

Assine nossa News

www.eprofessor.com.br

Clique aqui e selecione um banner com link para o eprofessor para colar em seu site ou blog.