Segunda, Outubro 23, 2017

Dispositivos móveis auxiliam na educação: mlearning

É fato que o acesso a banda larga no Brasil tem crescido principalmente se levarmos em conta aumento nas vendas de celulares 3G. A tecnologia móvel é cada mais utilizada, tablets, iPads e smartphones estão nas mãos de jovens e adultos mudando a maneira dessas pessoas de se comunicarem e se conectarem ao mundo. Se antes era proibido utilizar esses aparelhos dentro da sala de aula, hoje percebe-se que eles não são os culpados pela falta de atenção em uma aula, mas sim que podem ser auxiliares e complementares no processo de ensino-aprendizagem atual.
 
É fato que o acesso a banda larga no Brasil tem crescido principalmente se levarmos em conta aumento nas vendas de celulares 3G. A tecnologia móvel é cada mais utilizada, tablets, iPads e smartphones estão nas mãos de jovens e adultos mudando a maneira dessas pessoas de se comunicarem e se conectarem ao mundo. Se antes era proibido utilizar esses aparelhos dentro da sala de aula, hoje percebe-se que eles não são os culpados pela falta de atenção em uma aula, mas sim que podem ser auxiliares e complementares no processo de ensino-aprendizagem atual.
No entanto, não basta disponibilizar os aparelhos ou permitir que os alunos utilizem a seu bel prazer, toda tecnologia aplicada à educação precisa funcionar como uma catalisadora, a partir de um embasamento pedagógico. Esse é o novo desafio de escolas, professores e alunos.
A pesquisadora brasileira na área de Ciências da Comunicação, Lúcia Santaella, em seu livro “Linguagens líquidas na era da mobilidade”, nos diz que “quando uma nova mídia é criada e socialmente introduzida, adotada, adaptada e absorvida, ela faz crescer em torno dela práticas e protocolos sociais, culturais, políticos, jurídicos e econômicos. Isso tem recebido o nome de ‘ecologia midiática’ que implica a total integração de uma mídia nas interações sociais cotidianas. (...) elas, na realidade, alteram de modo significativo os ambientes em que vivemos e a nós mesmos como pessoas”.
Então como continuar insistindo em modelos tradicionais de ensino-aprendizagem que ignoram a realidade fora de sala de aula? O mobile learning (mlearning), significa aprendizagem móvel, trata-se de uma modalidade do ensino a distância e se utiliza de dispositivos móveis para promover a interação. Como as pessoas já tem se utilizado dessas ferramentas naturalmente, e se beneficiado? A partir dessa observação é possível que educadores possam compreender de que forma a ferramenta pode ser inserida no contexto educacional.
Muitos também se perguntam se é necessária a substituição geral de livros por tablets ou coisas do gênero, mas a questão é que é possível estabelecer metodologias ubíquas que se beneficiem produtivamente da interação de variadas ferramentas. Uma tecnologia não substitui a outra. A convivência social nos enriquece como indivíduos e como cidadãos, a interação de ferramentas quando bem aproveitada também atingirá objetivos positivos dentro da vida educacional e profissional. A turma, orientada por seu professor, pode ir sentindo naturalmente o que está funcionando mais e sempre existirá a continuidade do estudo fora da escola onde os estudantes (jovens ou adultos) terão a livre escolha de utilizar a mídia que preferir.
O site Upside Learning disponibiliza para download o livro/guia “Mobile Learning: A Quick Start Guide”, bastando preencher um cadastro rápido para receber o arquivo por email. Nesse site você também vai encontrar algumas dicas e vantagens ao se usar dispositivos móveis em um contexto educacional, como por exemplo:
 
• Ao estudar uma nova língua, é possível estabelecer uma troca de mensagens com perguntas na língua estrangeira estudada;
• Você poderá realizar pesquisas rápidas, até mesmo em dicionários, tradutores, buscadores, mapas ou enciclopédias;
• Realizar avaliações enviando uma questão de cada vez;
• Integração com ambientes virtuais de aprendizagem (via Internet) onde se usa o SMS (Short Menssaging Service - Serviço de Mensagem Curtas), uma ferramenta fácil utilizada no mundo todo, mais rápido do que o email e que não precisa da internet para funcionar;
• Portabilidade e interatividade, características dos dispositivos móveis;
• Montar uma biblioteca de livros usados no curso e poder acessá-los sem precisar sair da sala;
• Possibilidade de feedback instantâneo após uma atividade e que poderá ser armazenado ou salvo como parte do processo;
• Utilização de jogos educativos que podem ser jogados em pequenos grupos, duplas ou individualmente;
• Interação de mídias como áudio, vídeo, gravação de som, etc.
Clark Quinn, diretor executivo da Quinnovation e consultor em e-learning, trabalha com a ideia de que o e-learning e o mlearning não serão considerados fenômenos distintos, tudo depende de como forem analisados, uma vez que o e-learning pode ser visto apenas como o ensino feito a distância, mas se for inferido todo o suporte que engloba e permite o ensino a distância, como também o seu desempenho social e de aprendizagem informal então tratam de um mesmo universo. Veja mais aqui.
A principal vantagem dessa adaptação tecnológica consciente é perceber que através do uso desses novos dispositivos cria-se um ambiente de aprendizado inspirado por princípios colaborativos onde o conhecimento é construído coletivamente, por meio da relação entre vários elementos.
{qtube vid:=dOT1HNaRT78}

AVA e-Professor

Assine nossa News

www.eprofessor.com.br

Clique aqui e selecione um banner com link para o eprofessor para colar em seu site ou blog.